terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Você tem medo de tirar férias?

Estudos recentes indicam que o período, normalmente associado ao relaxamento, pode ser extremamente estressante



Uma pesquisa realizada pela International Stress Management Association (ISMA) com 678 trabalhadores das cidades de São Paulo e Porto Alegre, com idades entre 25 e 55 anos, aponta que 38% deles têm medo de tirar férias. Segundo o estudo, as principais razões estão o receio de que decisões importantes possam ser tomadas na empresa durante as férias (46%); a possibilidade de mudanças de cargo ou responsabilidades devido às fusões e aos enxugamentos (32%); enxugamento na empresa (19%); e o fato de que talvez ninguém sinta falta do profissional em férias (3%).

No Brasil, o período de 30 dias de descanso aos trabalhadores está previsto em lei. E para a psicóloga Tânia Margot Klein, do Sefit Prevenção Laboral, as férias têm um fator motivacional e desestressante, portanto, não há motivos para que as pessoas tenham receio. A especialista também acredita que a postura da empresa pode colaborar, e muito, para que o funcionário se sinta seguro. "Aquelas que apresentam um bom clima organizacional, investem em treinamento, desenvolvimento e qualidade de vida no trabalho conseguem manter a motivação de suas equipes em alta", explica a especialista.

Descanso em etapas

Para os funcionários que têm medo de sair de férias, a psicóloga aconselha: "Os períodos longos não são indicados. A pessoa se sentirá melhor com pequenas pausas". Então, dividir as férias em dois períodos de 15 dias pode ser uma boa ideia. "O estresse acontece diariamente e deixar para 'esvaziar o copo' apenas uma vez por ano pode ser ruim", aconselha a psicóloga.

Entretanto, Tânia defende que independente de 30 dias diretos ou em etapas, o importante é que o período de descanso exista. "Sair da rotina permite uma oxigenação que será transformada em motivação ao retornar ao trabalho", salienta.

Dicas para tornar as férias mais agradáveis

- Em primeiro lugar, programe-se. Ficar em casa sem fazer nada pode gerar frustração;

- Escolha atividades que lhe proporcionem prazer;

- Deixe de lado o computador ou os equipamentos que lhe remetam ao trabalho;

- Busque atividades que relaxem e desestressem para voltar ao trabalho revigorado e produzir mais e com qualidade!
Fonte: Revista Viva Saúde. Autor: Denise Mello

Um comentário:

Alexandra, ilustradora e animadora disse...

Oi Dra Silvia.

Muito bom seu artigo. E vou completar com uma angústia que acompanho bem de perto: meu marido não sabe "fazer nada" ou curtir o ócio criativo, quando não trabalha na empresa, faz trabalhos manuais em casa (consertos grandes com marcenaria, pintura, reforma). Parece-me que ele não consegue ficar à vontade sem fazer algo produtivo, como se fosse feio ou errado.

Um abraço,

Alexandra.